Fado em Lisboa

fado
Saudade é o principal sentimento que inspira esta música folclórica. Mas Fado significa destino. Algo do qual é difícil separar-se quando sente, algo que se acorrenta a nós, um peso ou uma luz que sempre se carrega. Saudade é um sentimento que os Portugueses orgulhosamente descrevem como deles, um sentimento enraizado naqueles que deixam a pátria. Também se canta o Fado para descrever o amor, a saudade daqueles que partiram, o mar, os infortúnios da vida, e refere-se muitas vezes à vida dos pescadores e dos marinheiros.

É cantado com um xaile aos ombros, uma guitarra Portuguesa, por uma mulher ou por um homem, e o que nunca falta ao Fado é, sem dúvida, a emoção. Um espectáculo só é um êxito quando o público é levado às lágrimas. É uma das músicas urbanas e populares mais antigas do mundo e cada vez mais admirada, respeitada e apreciada por todo o mundo.

Um pouco de História...

A versão popular da história do Fado diz que este era ouvido há muitos anos, pelos Mouros que ocupavam a Mouraria em Lisboa depois dos Cristãos reconquistarem Lisboa. No entanto, o primeiro registo de Fado só existe no princípio do século XIX. Foi só durante a ditadura de Salazar (1926 - 1968) que o Fado se tornou numa profissão, quando Salazar decidiu limitar os fadistas às casas de Fado ou às “revistas”. Mais tarde, Salazar enviou os fadistas pelo mundo para promover o sentimento nacional e uma das mais conhecidas fadistas desta época foi Amália Rodrigues que representou o país e o nacionalismo Português pelo globo.
 
Com a queda da ditadura em 1974, o fado era o símbolo de um Portugal triste, preso ao passado num mundo que se tinha uma constante evolução e desenvolvimento. Um grande grupo chamado Madredeus surgiu, no final do século XX, com a voz soprano da vocalista acompanhada por belas guitarras acústicas e um acordeão. Mariza apareceu mais tarde e é, provavelmente, a cantora mais importante depois de Amália Rodrigues, reconhecida pelo seu talento, a sua voz, o seu sentimento, e o seu estilo vanguardista.


Os rostos do Fado

Amália Rodrigues

Lembrada pela sua coragem, a sua força, a sua voz, o seu Fado, e mais ainda pela sua alma, Amália Rodrigues é um dos símbolos mais importantes de Portugal. No dia 6 de Outubro de 1999, Amália Amália Rodriguesmorreu, deixando para trás uma grande saudade no seu povo.

Nascida num dia entre o primeiro e o vigésimo terceiro de Junho de 1920, Amália Rodrigues foi a quinta de nove crianças. Com quinze anos Amália actuou pela primeira vez a sólo acompanhada pelo seu tio na guitarra. Rapidamente ela tornou-se um dos símbolos Portugueses mais importantes dessa época. A cantar músicas como “Uma casa Portuguesa”, “Fado Português” e “Libertação”, Amália projectou Portugal no mundo durante uma das mais longas ditaduras de toda a Europa. Jorge Sampaio, Presidente da República, disse no dia da sua morte, “Amália deu uma nova face á identidade Portuguesa. Amália morre, mas viverá sempre no seu Fado e na sua música.” O país teve em luto durante três dias.

Mariza

Mariza

M
ariza é um dos nomes mais revolucionários da cultura fadista (juntamente com Amália Rodrigues)
. O Fado costumava estar ligado ao antigo, ao conservador e ao tradicional; símbolos de uma ditadura repressiva de Salazar. Jovem, moderna, original, e com o Fado na alma, Mariza atraiu admiradores mais novos. Apareceu como uma artista contemporânea e creativa, vestindo roupas mais avant-garde e deixando para trás os xailes negros. As suas letras e músicas fazem tremer corações e almas em todo o mundo. Todas as suas actuações são memoráveis.

Nascida na capital de Moçambique, esta jovem rapariga mudou-se para Lisboa aos três anos. Devido à paixão do seu pai por esta música folk Portuguesa, Mariza ouvia Fado desde que se lembra. Em Lisboa, a família da Mariza vivia no bairro da Mouraria, a verdadeira casa e coração do Fado, e o seu contacto com esta música era diário. Mariza começou a cantar depois de receber o seu primeiro xaile aos cinco anos. Mas foi só durante a sua adolescência que Mariza ganhou crédito pelo seu talento. Hoje em dia esta fadista é uma das cantoras mais importantes na história do Fado, com canções sentimentais e tão emocionantes como "Ó Gente da Minha Terra".


Venha ouvir o Fado


Fado in Chiado

Venha ouvir o Fado a duas vozes. Uma voz masculina e outra femenina criam uma ponte entre o passado e os tempos modernos. Durante 50 minutos poderá desfrutar de um Fado com um toque especial.

DATA
 Todos os dias - menos Domingo
HORÁRIO  19h
LOCAL
 Cine theatro Gymnasio - Espaço Chiado, Rua da Misericórdia, 14
PREÇOS
 15€
COMO CHEGAR
 Metro: Baixa/Chiado (linha verde)
CONTACTOS
 +351 961 717 778
  +351 213 430 184


Visite algumas das casas de Fado mais conhecidas em Lisboa. Dê um passeio pelo Bairro Alto e por Alfama onde encontrará várias.


Café Luso

Esta casa diz que é uma das mais antigas na cidade. Aberta em 1927, todos os fadistas mais importantes já passaram por estas caves de vinho do século XVII, incluindo a Amália Rodrigues. Para além do Fado, aqui também poderá assistir a uma dança de folklore de um grupo de 14 elementos. O folklore vem trazer mais côr e animação á casa.

ONDE
 Travessa da Queimada, 10 (Bairro Alto)
1200-365 Lisboa
CONTACTOS  +351 213 422 281       
www.cafeluso.pt
HORÁRIO  Aberto todos os dias: 19h30 - 02h00
COMO CHEGAR  Autocarro (nº 58 e 790). Metro: Baixa-Chiado
MAIS INFORMAÇÃO  160 lugares
Ar-condicionado
3 Parques de estacionamento perto
Todos os principais cartões são aceites.


Clube de Fado

No coração do distrito de Alfama está o Clube de Fado. Uma das particularidades desta casa de Fado é o poço de desejos, onde se pede um desejo depois de gozar de uma refeição muito tradicional.

ONDE  Rua São João da Praça, 94 (perto da Sé)
PREÇOS
 Média 23€
CONTACTOS  +351 218 852 704
HORÁRIO  20h - 02h Todos os dias.
MAIS INFORMAÇÃO:
 88 lugares
Estacionamento - ao pé da Sé, no Campo das Cebolas e na Praça da Figueira
Todos os principais cartões são aceites.


Parreirinha de Alfama


E
sta casa de Fado está situada em Alfama, um dos bairros mais típicos de Lisboa. A D. Argentina Santos, uma reconhecida fadista local, gere este pequeno restaurante numa rua sem saída entre várias casas do bairro. A sala de jantar é pequena e aconchegante; um lugar agradável para se fazer “silêncio” quando se vai cantar o Fado enquanto se saboreia uma refeição tipicamente Portuguesa.

ONDE  Beco do Espírito Santo, 1, 1100 - 220 Lisboa
PREÇO MÉDIO
 35 €
CONTACTOS  +351 218 868 209
HORÁRIO  20h - 03h Todos os dias.
   


Adega do Ribatejo


A
Adega do Ribatejo apresenta um espectáculo muito interessante. Situada no coração do Bairro Alto vale a pena a visita para aqueles que querem passar uma noite a ouvir cantar o Fado. Aqui canta-se o Fado Vadio, uma forma de cantar que melhor expressa as emoções em vez de tentar ser comercialmente aceite. Primeiro cantam as empregadas que servem à mesa, seguidas dos cozinheiros, todos vestidos a rigor com os seus uniformes de trabalho. Visite a Adega do Ribatejo para um espectáculo bem diferente!

ONDE
 Rua do Diário de Notícias, 23, 1200-141 Lisboa
PREÇO MÉDIO
 35 €
CONTACTOS
 +351 213 468 343
HORAS
 20h - 24h todos os dias
TRANSPORTES
 M: Baixa-Chiado. Autocarro: 1, 92, 202, 758, 790. Eléctrico: 28E


Compras

A
o descer a Rua do Carmo no Chiado, encontra-se uma carrinha verde estacionada na rua todos os dias, enchendo as ruas desta zona com os sons do Fado. Aqui poderá comprar a grande maioria dos CD’s disponíveis no mercado.


Está a planear uma visita a Lisboa e à procura de um sítio para dormir?

Visite a nossa página web: www.portugal-live.net/UK/hotels.html

As suas Fotos

Faixa publicitária

autos en



Utilizamos cookies para fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a nossa utilização de cookies.